Projeto Recuperação e Preservação de Fonte - Chapecó/ SC


Descrição

A recuperação e preservação da mata ciliar são fundamentais para a busca do desenvolvimento sustentável, cabendo a ela a proteção dos rios, nascentes e fontes, evitando a erosão. Neste projeto, foram preservadas três nascentes na comunidade da Barra da Chalana, interior do município de Chapecó, na propriedade da família Machado.

As reservas legais e, especialmente, as matas ciliares cumprem importante função de corredores para a fauna, permitindo que animais silvestres possam deslocar-se de uma região para outra, tanto em busca de alimentos como para fins de acasalamento.


Objetivo

O objetivo da recuperação da mata ciliar está na proteção dos cursos d'água contra o assoreamento e a contaminação de defensivos agrícolas, além de se constituírem de remanescentes florestais das propriedades rurais sendo, portanto, essenciais à conservação da fauna. 


Ações

Foi efetuado o plantio de espécies nativas, indicadas para recomposição da área degradada no local. As espécies nativas têm como importância sua preservação, pois contribuem para todo o equilíbrio do ecossistema, além de preservar a característica própria da região. 

O plantio de árvores nativas aumenta a camada fértil, sendo fontes de nutrientes e de sementes da vegetação local. Plantas remanescentes dentro de pastagens ou áreas degradadas, que se encaixam dentro da concepção de poleiros para agentes dispersores, estão sendo apontada como uma estratégia barata e eficaz de aumentar ou facilitar a entrada de sementes nestas áreas e acelerar a sua recuperação ambiental.


Resultados

A eficácia desta intervenção depende da identificação dos fatores de degradação e recuperar a estrutura dos fragmentos florestais conservando assim a sua biodiversidade.

As matas ciliares e outras áreas de preservação permanente permitem ao proprietário diminuir os problemas de erosão do solo e manter a qualidade das águas, dos rios e lagos da propriedade. O equilíbrio ecológico só é possível, de fato, com o manejo adequado das florestas e matas e da preservação do meio ambiente.


Números do Projeto

Local: Chapecó/ SC

Famílias beneficiadas: 03

Atividade com monitoramento periódico

Acompanhamentos

Acompanhamento VI

21/01/2019

Há 10 (dez) anos o Programa SOS Sustentar efetuou atividade de recuperação de área degrada em nascente, na propriedade do Sr. Anderson e Nelson Machado, localizada na comunidade da Barra da Chalana, no município de Chapecó/ SC, fazendo o cercamento do local e o plantio de espécies de árvores nativas.

No dia 21 de janeiro de 2019, foi feito o monitoramento na área de preservação pela equipe técnica da SOS Sustentar. O local está modificado, encontramos outra paisagem, um bosque com espécies nativas e exóticas está tomando conta da área. Juntamente com as espécies plantadas percebemos a germinação do banco de sementes local, e ainda de espécies exóticas dos arredores se desenvolvendo.

A nascente está protegida, seu reservatório segue em seu nível máximo diariamente, e ainda com sobra de água em épocas mais chuvosas. A água vem sendo utilizada para irrigação de hortaliças que são plantadas na propriedade, e quando necessário é utilizada para outros fins, tanto para animais como consumo humano. Em todo o período após a preservação, mesmo em épocas de estiagem a nascente nunca secou, conforme relato do proprietário Anderson Machado.

Os resultados alcançados em 10 anos do projeto são muito positivos. A área no entorno da nascente está bem protegida propiciando um excelente desenvolvimento da flora e, consequentemente, como local de abrigo, alimentação e refúgio para a fauna local.

O desenvolvimento das espécies plantadas como o angico vermelho (Parapiptadenia rigida), o pinheiro brasileiro (Araucária angustifolia) e a canela (Ocotea puberula) está dentro do previsto com os exemplares ultrapassando os cinco metros de altura. Com o banco de sementes local se desenvolveu espécies de uva japão, espécie exótica, mas que vem dando suporte e sustentação juntamente com as espécies nativas.

O solo possui uma boa estrutura granular que associada à cobertura vegetal permite uma boa infiltração da água no solo e evita a erosão de solo. As plantas propiciam diversificado alimento para insetos e pequenos animais, inclusive para a produção de mel, e com o passar dos anos as árvores frutíferas vão fazendo parte da dieta alimentar dos pássaros.

A área do entorno da fonte continua sendo utilizada para cultivos anuais de milho, feijão, mandioca e algumas hortaliças. Sempre que necessário a água é utilizada para irrigação dos cultivos, garantindo produção e a renda da família.

A orientação repassada ao proprietário é de manter o local em processo de regeneração, com alguma intervenção de retirada dos exemplares exóticos, buscando manter o crescimento das espécies nativas. Permitindo o desenvolvimento das plantas já estabelecidas e da própria regeneração natural, a área de preservação permanente estará cumprindo plenamente sua função.

Acompanhamento V

09/07/2014

Os resultados alcançados até este quinto ano de ação do projeto são muito positivos. A área no entorno da nascente está bem protegida propiciando um excelente desenvolvimento da flora e, consequentemente, como local de abrigo, alimentação e refúgio para a fauna local. O desenvolvimento das espécies plantadas como o angico vermelho (Parapiptadenia rigida), o pinheiro brasileiro (Araucaria angustifolia) e a pitangueira (Eugenia uniflora) está dentro do previsto com os exemplares ultrapassando os quatro metros de altura.

A ecologia local também já sente os benefícios da ação, o solo possui uma boa estrutura granular que associada à cobertura vegetal permite uma boa infiltração da água no solo e evita a erosão com a decorrente perda de solo. As plantas já propiciam diversificado alimento para insetos e pequenos animais, inclusive para a produção de mel, e com o passar dos anos as árvores frutíferas irão fazer parte da dieta alimentar de pássaros.

Atualmente, a área no entorno da fonte está sendo utilizada para cultivos como o milho, o feijão e a mandioca. Por relato do proprietário, outro benefício é que estando a fonte bem protegida, nas épocas de estiagem, é possível utilizar a água para irrigação dos cultivos garantindo a produção e a renda das diversas famílias envolvidas com a produção de alimentos. Não é necessário fazer novas intervenções e, permitindo o desenvolvimento das plantas já estabelecidas e da própria regeneração natural, a área de preservação permanente estará cumprindo plenamente sua função.

Acompanhamento IV

15/05/2013

O projeto desenvolvido em 2009 na propriedade da família Machado a cada novo monitoramento já rende novos resultados. Em 2013, o agricultor já destaca o sucesso da fonte que auxilia na produção de mandioca. “Faço rotação de cultura na área de terra onde está a fonte preservada. Neste ano, plantei milho no local e um espaço para mandioca”.

A intenção do agricultor é desenvolver na propriedade atividade de irrigação da produção com a água da fonte preservada. A mata ciliar no seu entorno encontra-se com a vegetação já crescida e com novas espécies no local. A presença de umidade e de animais pequenos também é visível. Além disso, outro diferencial é a geração de emprego às famílias da região, pois com o plantio e a industrialização do produto, garantem renda própria e aumento da autoestima no campo.

Acompanhamento III

07/06/2012

Em 07 junho de 2012, em mais uma visita de monitoramento, observou-se a recomposição da mata ciliar em maior intensidade e, principalmente, o aumento da água no local. Isso ficou evidenciado também na fala do jovem sucessor da propriedade, Anderson Machado que comentou sobre a transformação nas suas atividades com a proteção das fontes.

Para ele, foi à fonte preservada a garantia de água durante a estiagem do início de 2012 na região. Além disso, com a garantia de água, novas culturas foram plantadas e, assim, ocasionou o aumento de renda e emprego na comunidade. Outro fator importante com a preservação é o aumento de tecnologia. Isso porque, com a agregação de valor na produção e com os recursos naturais garantidos foi possível a compra de implementos agrícolas para ajudar na produção. Com a proteção e isolamento da fonte, os animais maiores não entram mais no local, favorecendo assim a renovação das árvores nativas, bem como o aumento da qualidade da água.

Acompanhamento II

08/06/2010

Após 10 meses da atividade prática, o potencial de regeneração natural foi analisado, o solo se recompôs e a vegetação o encobria. As plantas propiciaram sombra, o que resultou em maior proteção ao solo contra a insolação e as espécies que ali foram plantadas desempenhou o papel fundamental das árvores em uma nascente. Porém, o frio fez com que as ervas daninhas secassem e permanecessem as árvores nativas que ali foram plantadas, recuperando e restaurando a área, proporcionando um equilíbrio ambiental. Outro ponto a ser notado é a presença de insetos como: besouros, borboletas, joaninhas, etc. que já tinham sido vistas no primeiro trabalho de monitoria. Porém, teve grande relevância neste trabalho a presença das aves que foram visualizadas nesta monitoria, que encontraram no local abrigo e fonte de alimentos.

É deste modo, com a ausência de animais domésticos e da ação humana que a área se recupera e se regenera naturalmente. Destacamos também a importância dos proprietários, que mantiveram a área isolada e se encontram satisfeitos com o resultado demonstrado até agora.

Quando se trata de impacto ambiental gerado pela atividade antrópica, neste caso o uso do solo com pastagem ou potreiro, além do diagnóstico do impacto, é fundamental envolver os proprietários da região acerca do problema identificado para que aconteçam ações efetivas de recuperação, seja por meio da proposição de técnicas de recuperação, seja por meio do conhecimento adquirido por parte dos agricultores, ou então, ambas as situações são possíveis e aplicáveis. Neste caso, orientá-los e auxiliá-los na tomada de consciência são mecanismos importantes para que o objetivo do trabalho de restauração seja alcançado, evitando assim a interferência na aplicação das técnicas e, principalmente, cumprir o papel social através da educação ambiental, que possivelmente será aplicada com os moradores do local.

Acompanhamento I

04/01/2010

No primeiro monitoramento, após cinco meses do início do projeto, foi realizada a medição das espécies plantadas ao redor da fonte, as quais apresentavam uma média de 30 cm a 1 m de altura, variando de acordo com cada espécie. Com o isolamento da área, impedindo a entrada de animais e/ou da ação humana, com a ausência de formigas, e com o plantio dessas árvores nativas, a vegetação a área se desenvolveu rapidamente e com visíveis resultados. Acompanhando o desenvolvimento das espécies plantadas, foi feita novamente a medição dessas plantas, onde o crescimento variou de 05 a 20 cm, dependendo da espécie.

Neste caso, quando a área é isolada de ações antrópicas e de animais, o desenvolvimento de locais de preservação permanente é rápido e eficaz. Através disso, percebeu-se que as árvores nativas que foram plantadas ao entorno da fonte protegida estão com um ótimo desenvolvimento, ou seja, a recomposição da área Protegida está ocorrendo com sucesso. Este trabalho está sendo realizado focando a importância da recuperação e preservação de fontes. Com a compreensão e a participação dos proprietários, que concordaram com o isolamento da área.

O investimento para execução deste projeto foi de R$ 2.697,00.

Compartilhe nas redes sociais